fbpx

Jean-Michel Basquiat

Pela primeira vez no país, a mostra reúne 80 quadros com desenhos e gravuras de Jean-Michel Basquiat, ícone da pintura neoexpressionista e a personificação do espírito de “empolgação e decadência” da Nova York dos anos 1970/80.

Iniciando na arte como um grafiteiro em Manhattan, Basquiat abandonou a escola ao final dos anos 1970 para se dedicar a arte. Após ser descoberto por Andy Warhol, alcança a fama e posição de ícone pop da época.

A mostra está no Centro Cultural Banco do Brasil e fica em exibição até o dia 12 de janeiro de 2019. A entrada é franca.

 

Centro Cultural Banco do Brasil Rio de Janeiro: Rua Primeiro de Março, 66 – Centro

Funcionamento: de quarta a segunda, das 9h às 21 horas.

Site:ccbbrio@bb.com.br

Obs: Opção de visitação com hora agendada pelo aplicativo Eventim (Apple Store e Google Play) e em culturabancodobrasil.com.br ou na bilheteria do CCBB mediante disponibilidade.

A arte de otimizar o tempo: aprender ouvindo.

Na grande maioria dos cursos de marketing digital os professores irão repetir quantas vezes forem possíveis que o algoritimo de mídias sociais, como o Facebook, dá preferência a vídeos e imagens na hora de calcular o alcance de uma postagem. Você será bombardeado com conselhos para montar um canal no Youtube e como isso irá ajudar nas pesquisas do Google. Em grande parte isso continua (e continuará) sendo verdade, principalmente se comparado a mídias escritas, mas o que esses professores de marketing digital e gurus de mídias sociais não esperavam é que nós estivéssemos voltando a dar atenção ao ato de escutar.

Com a popularização do download de músicas, iniciado pelo napster no ano de 1999 e o lançamento do primeiro Ipod em 2001, o ato de escutar foi revolucionado para sempre e deixamos de ser reféns dos horários específicos de rádio e televisão para termos acesso às nossas músicas preferidas. Com isso, a própria visão de rádio foi sendo mudada e o conceito de On Demand (em tradução livre, por demanda) cresceu com cada vez mais força e imediatismo.

Seguindo essa tendência, em 2004 surge o primeiro Podcast. A palavra se origina da fusão de dois conceitos: Pod é uma sigla que significa Personal On Demand e Cast vem de BroadCasting, um equivalente a radiodifusão no Brasil. Isso demonstra como o formato nasce para dar autonomia ao ouvinte.

No Brasil, já em 2004 é criado o primeiro podcast do país, o Digital Minds, do Danilo Medeiros. Porém, pelo difícil acesso a mídia, o público era apenas de pessoas ligadas tecnologia de alguma forma. Cristiano Dias, do podcast BrainCast, cita alguns motivos que ajudaram no sucesso do formato como o aumento do uso de smartphones, a internet 3G, o lançamento de aplicativos exclusivos como as lojas do ITunes e a possibilidade de encontrar o formato em aplicativos de streaming como Spotify e Deezer. Além desses, Guga Mafra, do GugaCast, comenta que parte desse sucesso é a consequência de uma fraqueza que virou força: a impossibilidade de viralização dos conteúdos devido a duração dos programas. Com o passar dos anos entendeu-se que ao não viralizar a possibilidade de engajamento era muito maior, “em vista da intensidade do relacionamento que ele cria com os seus ouvintes”. Segundo dados disponibilizados pela Apple, o índice de retenção de ouvintes chega a 75%. Em entrevista com xxxxx para o podcast Código Aberto, Thiago Rotta, diretor de Inovação e Transformação Digital da Microsoft comenta como o uso dos assistentes pessoais ajuda a reforçar a volta das mídias em áudio, diminuindo o foco das marcas na produção de audiovisual.

Com o aumento da oferta de programas dos mais diversos assuntos, hoje o brasileiro entendeu que o podcast é uma forma de otimizar seu tempo e que através dele pode aprender enquanto está preso no trânsito, na academia ou durante aquela faxina no armário. Seja sobre amenidades ou assuntos específicos de uma determinada profissão, é muito provável que já exista um podcast sobre o assunto que você deseja. E para otimizar ainda mais o seu tempo, listamos podcasts de variadas durações onde há sempre algo de interessante para se aprender (todos estão disponíveis no Spotify e Deezer).

 

Resumocast: semanalmente Gustavo Carriconde debate sobre um determinado livro de empreendedorismo, tudo isso em no máximo 30 minutos.

Código Aberto: Podcast produzido pelo grupo de comunicação B9, traz conversas com os nomes mais influentes do mercado e suas experiências sobre mídia, tecnologia, comunicação, marketing e afins.

Nerdcast: Com 12 anos de estrada, o mais famoso podcast do Brasil produzido pela equipe do site Jovem Nerd fala sobre qualquer assunto, mas sempre com perspectivas interessantes.

Durma com essa: não teve tempo de se ligar em nada do que aconteceu no mundo durante o dia? Pois de segunda a quinta o Durma com essa faz um resumo de 10 minutos sobre o assunto mais instigante do dia.

Braincast: também pertencente ao grupo B9, esse podcast é mais aberto nos assuntos, mas sempre tentando agregar qualquer coisa ligada a cultura digital, inovação, negócios e criatividade.

Foro de Teresina: pertencente ao grupo da revista Piauí, todas as quintas discute e analisa os acontecimentos políticos nacionais.

Mamilos: mais um do grupo B9, esse podcast traz a tona os assuntos mais polêmicos da semana nas redes sociais para debater com respeito e sempre buscando o aprofundamento.

 

  • Luiza Rodrigues

High Performance Executive Net Profit

Nos dias de hoje é muito comum confundirmos trabalhar muito com ser produtivo, mas você já se perguntou se o excesso de trabalho não é desnecessário? Você está pronto para conquistar as metas mais desafiantes e importantes da organização?

Diferenciado na forma de interagir com os participantes, o programa da Net Profit de Certificação High Performance Executive é extremamente provocativo, com metodologia e ferramentas unicamente desenvolvidas que demonstram na prática como gestores e o seu time podem juntos alcançar resultados extraordinários em tempo recorde, ensinando-os como encontrar respostas principalmente na mudança de postura frente aos desafios.

Assim como mais de 4.000 pessoas treinadas em todo Brasil, você não aprenderá apenas como fazer, mas entenderá na prática como superar as metas desafiadoras da organização, como fazer mais, melhor, mais rápido e com menos recurso, como envolver toda a equipe para obter resultados realmente extraordinários e ser um High Performance na vida!

As inscrições já estão abertas para você descobrir como a Net Profit tem transformado centenas de empresas.

 

Dias: 03 e 04 de dezembro

Local: Hotel Everest Ipanema

Horário: 08h às 18h30min

Inscrições: carla@netprofitbrasil.com.br

Site: www.netprofit.com.br

Começo na segunda.

A sensação de renovação trazida pelos primeiros dias do mês e do ano aliada a procrastinação de cada dia nos levam a sempre adiar mudanças necessárias para nossa saúde, bem-estar e melhor relacionamento com aqueles que estão à nossa volta. Mas afinal, será que isso realmente ajuda a se manter no desafio de mudar de hábitos?

Na verdade, não. Ainda não existem comprovações científicas de que iniciar novos hábitos no primeiro dia do ano ajude realmente no plano. Em matéria para o jornal El País, a jornalista Patricia Ramírez conta que o necessário é a consciência do que precisa ser mudado e que isso seja coerente com sua escala de valores. Dessa forma se torna mais fácil incorporar o novo comportamento em sua rotina e transformar isso em um hábito. Então, se você já sabe o que precisa mudar, a razão, e tem um plano, por que deixar isso para o início do ano?

Ainda assim, esse processo não é tão rápido ou fácil. Em tempos onde tudo fica cada vez mais imediato e descartável, alterar velhos padrões pode ser desgastante. Em seu livro The Power of Habit (O Poder do Hábito, editora Objetiva), o jornalista americano Charles Duhigg nos explica como funcionam os mecanismos do hábito e como ele se apresenta na vida das pessoas. Para o livro, o jornalista acompanhou pesquisadores do MIT (Massachusetts Institute of Technology) na apresentação da tese que defende que cada hábito segue uma sequência de três etapas:

  1. O sinal, aquilo que desencadeia o hábito
  2. rotina, que é o hábito em si
  3. recompensa, o que nos faz voltar ao hábito

Ao iniciar o processo de mudança de comportamento é importante que saibamos identificar os três pontos citados acima para saber onde atacar. Dessa forma temos mais consciência do que precisa ser feito ao longo dos dias para ter certeza que o objetivo vai ser atingido. Segundo Duhigg, “Quando temos consciência do hábito, o superamos mais facilmente”.

E a dica de como fazer isso? Mais simples, impossível: apenas comece. Não espere por aquele 1º de janeiro para iniciar a reeducação alimentar ou começar o uso de uma agenda. Comece hoje. Entenda qual é o seu objetivo e se comprometa em incluí-lo em sua rotina. Especialistas indicam que ao admitir que algo precisa mudar, é necessário realizar a alteração o mais rápido possível, até imediatamente. Isso aumenta a sensação de compromisso e ajuda a aproveitar a empolgação. Para o “pai da neurociência moderna”, Santiago Ramón y Cajal, “todo homem pode ser, se assim se propuser, escultor de seu próprio cérebro”. Sendo assim, para que esperar?